Sábado, 13 de Setembro de 2014
O Oitavo Hábito - Stephen Covey
Quando o Honrado-pelo-Mundo expôs o Darma, apresentou três pontos básicos.
O primeiro é moralidade, o segundo é 
samádi, o terceiro é sabedoria.

 

Mestre Dao’an (312-385)

O que é a sabedoria?
A palavra do sânscrito para sabedoria é prajña e, em geral, não se traduz. Isso acontece porque a sabedoria prajña é muito diferente do conceito que temos de sabedoria no mundo do samsara, seja em que língua for. Sabedoria prajña é aquela que o budismo considera a mais elevada, constituindo o mais sublime dentre as seis paramitas. Vislumbres da sabedoria prajña levam os seres sencientes à iluminação – algo que seria impossível sem prajña. O Sutra Mahaprajnaparamita diz que “prajña é a mãe de todos os Budas”.
Três formas de cultivar a sabedoria prajña
Os budistas reconhecem três formas de conquistar a sabedoria prajña:
1. Sabedoria alcançada pelo ouvir
Quem tem a boa fortuna de estar próximo de pessoas sábias, que compreendem o Darma, tem a oportunidade de desenvolver prajña ao ouvi-las. É também possível desenvolver a sabedoria lendo sutras e literatura dármica ou assistindo a vídeos e filmes dármicos.
2. Sabedoria alcançada pelo pensar
Depois que se ouve o Darma, faz-se necessário pensar a seu respeito, caso contrário, ele não será de nenhuma utilidade. A sabedoria é uma peculiaridade ou uma condição da mente. Caso não se empregue a mente para sua aquisição, a sabedoria não será alcançada. Nada aprenderá aquele que se recusa a refletir sobre o que ouviu. Através do pensamento, é possível adquirir percepção muito profunda da verdade do Darma. Tudo começa na mente. Quando a mente começa a treinar-se no Darma, nada poderá obstruir seu rápido e alegre desenvolvimento.O Buda ensinou quatro princípios necessários para distinguir entre verdade e falsidade, ou entre sabedoria e ignorância. Disse ele que nossa compreensão deve (1) seguir o Darma, e não as pessoas; (2) o espírito do Darma, e não as palavras que o expressam; (3) o verdadeiro significado do Darma, e não quaisquer interpretações de seu significado; (4) nossa sabedoria profunda, e não nosso conhecimento superficial.
3. Sabedoria alcançada pelo cultivo
Uma vez tendo desenvolvido a sabedoria por ouvir o Darma e refletir sobre seu significado, devemos começar a praticar o que aprendemos. Muitas vezes, a prática do budismo é chamada de “cultivo”, porque cultivamos a sabedoria e o bom comportamento, da mesma forma que um agricultor cultiva seus campos.O terreno da interação entre o pensamento e o comportamento constitui o principal campo a ser cultivado. Avança-se no budismo por meio de um processo contínuo de observação do próprio comportamento, que é ajustado para entrar em consonância cada vez maior com a sabedoria do Buda interior. Esse processo de aperfeiçoamento contínuo acaba por produzir a percepção direta da não dualidade e do vazio inerente a todos os fenômenos. Esse é um estado de júbilo. 
VER MAIS AQUI


publicado por enfarpeladasocumveu às 20:58
link do post | comentar | favorito

Os sete hábitos das pessoas altamente eficazes - Stephen Covey

“Nós não somos seres humanos que vivem uma experiência espiritual, somos seres espirituais que vivem uma experiência humana”.

 

(Teilhard de Chardin)



publicado por enfarpeladasocumveu às 20:50
link do post | comentar | favorito

El ginkgo biloba y la memoria

 

     Los suplementos de ginkgo biloba no suponen un claro beneficio en la reducción de problemas de memoria, según un estudio publicado        recientemente en Neurology.

     Este estudio realizado por la Universidad de Oregon ha analizado a 118 personas de más de 85 años sin problemas de memoria. La mitad de  los participantes tomaban extractos de ginkgo biloba tres veces al día y la otra mitad un placebo.

     Durante el estudio, 21 de estas personas han desarrollado problemas de memoria o demencia, 14 de ellas tomaban placebo y 7 el extracto  de ginkgo biloba.

   Aunque parece que el ginkgo biloba reduce los problemas de memoria, la diferencia entre los personas de ambos grupos no es  estadísticamente significativa.

    Se ha demostrado que los principios activos del Ginkgo Biloba tienen excelentes propiedades para la memoria, al estimular la circulación y  potenciar la capacidad mental. Por tal motivo, se analizan los beneficios del ginkgo biloba, para el tratamiento natural de enfermedades como el  mal de Alzheimer. Sin embargo, en dosis excesivas, el ginkgo biloba puede tener contraindicaciones y efectos secundarios indeseables. 

  

    Ver contr aindicaciones del Ginkgo Biloba


    Los principios activos del ginkgo biloba tienen la capacidad para luchar contre el envejecimiento cerebral ya que estos actúan favoreciendo la  circulación y estimulando la actividad mental, es por ello que esta planta esta especialemente indicada para pacientes con enfermedades  degenerativas del sistema nervioso central.

  El ginkgo biloba puede ser beneficioso y estimulante para enfermos con mal de Alzheimer, ya que al favorecer la actividad cerebral y permitir  ejercitar el cerebro, estimula la memoria, que es lo que más se resiente en esta enfermedad neurológica.

 

  ¿Qué es el ginkgo biloba?

 

     El ginkgo biloba es uno de los árboles más antiguos sobre la faz de la tierra. Sus hojas están entre las más estudiadas de la botánica y son  de las más usadas para fines medicinales, ya que poseen dos tipos de antioxidantes: flavonoides y terpenoides.

   El ginkgo biloba se emplea para tratar problemas de circulación sanguínea y para mejorar la memoria y la concentración. Varios estudios  realizados durante estos últimos años han demostrado que estos beneficios son reales. Aunque no todas las investigaciones están de acuerdo,  parece ser que el ginkgo es especialmente eficiente para tratar la demencia, el alzhéimer y los síntomas de la claudicación intermitente (mala  circulación en las piernas).

 

 

   El ginkgo biloba y la mejora de memoria y concentración

 

    Diversos estudios han comprobado que el ginkgo aumenta la memoria y las capacidades cognitivas de las personas con alzhéimer.

    Otras  investigaciones han demostrado que también maximiza la concentración y la memoria en personas sanas.

     
VER MAIS AQUI

 



publicado por enfarpeladasocumveu às 20:29
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Five Numbers to Remember ...

Experiences Build Brain A...

O cérebro controla quanto...

3 ilusões óticas que desv...

Could changes in thinking...

“Bullying” na infância te...

AS ARMAS BIOLÓGICAS CONTR...

Como o genoma de 14 esque...

SINAIS PRECOCES DE UM POS...

Qué es la matriz extracel...

arquivos

Julho 2018

Agosto 2017

Julho 2017

Julho 2016

Março 2016

Dezembro 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2013

Janeiro 2013

Junho 2012

Maio 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Novembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

favoritos

Entrevista a Alexandre Fr...

As feromonas da maçã

Reivindicar outra avaliaç...

A coragem para dizer: bas...

Dez Princípios para uma R...

Pode alguém ser quem não ...

links
Artist a Day
https://www.artistaday.com/
TEMPO
Fazer olhinhos
CITAÇÕES
blogs SAPO
subscrever feeds